Gripes e resfriados: suas atitudes podem evitar que as crianças se contaminem

Dicas para viver e conviver melhor com uma doença crônica
11 de junho de 2019
Antes de sair para o feriado, veja se você não esqueceu alguma coisa
17 de junho de 2019
Exibir tudo

Gripes e resfriados: suas atitudes podem evitar que as crianças se contaminem

“Leve um casaco pra não pegar gripe”, “cuidado pra não tomar friagem!”. Quase todo mundo já ouviu esses conselhos de mães preocupadas com a saúde dos filhos. Esse é só um dos motivos que nos levam a pensar que o frio está diretamente relacionado com gripes e resfriados.

Mas essa crença não é totalmente verdadeira. Gripes e resfriados não são mais comuns no inverno necessariamente por causa da temperatura mais baixa. A relação tem muito mais a ver com o fato de ficarmos mais tempo em ambientes fechados em contato com outras pessoas. Isso facilita que os vírus se espalhem. Além disso, como o inverno brasileiro também é uma época seca, ele também provoca mais irritação nas vias respiratórias.

Com as crianças e principalmente os bebês, a atenção para prevenir uma gripe precisa ser redobrada. E uma dessas dicas você já pode tirar do começo do texto: evite levar suas crianças para lugares fechados e com aglomeração de gente.

Veja outras atitudes que ajudam a prevenção:

Lavar as mãos Esse é um conselho de ouro que você pode carregar por todas as estações do ano. O hábito ajuda muito a prevenir que os vírus causadores de gripes e resfriados sejam levados para a boca, nariz e olhos, especialmente das crianças pequenas.

É por isso também que não devemos tocar um bebê sem a higienização das mãos. Crianças muito pequenas possuem imunidade mais baixa e ficam mais expostas às contaminações dos vírus. Então, já sabe: quando aquela sua tia vir cheia de vontade de pegar seu bebê, pergunte se ela pode lavar as mãos antes ou a convide para uma passadinha de álcool em gel antes de encostar no bebê.

Vacina Outra recomendação indispensável, tão ou mais importante quanto as outras, está no posto de saúde: não se esqueça de tomar a vacina! Lembre-se de que essa não é apenas uma obrigação das crianças pequenas. Adultos, principalmente aqueles que fazem parte de grupos mais vulneráveis (gestantes, professores, profissionais de saúde e idosos), também devem se vacinar para que os vírus não atinjam as crianças.

O inverno é a estação em que as crianças estão mais vulneráveis à gripe

Alimentação Uma boa alimentação também ajuda porque aumenta a capacidade do nosso sistema imunológico. Frutas ricas em vitamina C como morango, limão e laranja podem ser soldados úteis nessa batalha contra gripes e resfriados. Se você quiser, também pode usar compostos vitamínicos para dar um gás extra na sua imunidade. Afinal, quando o adulto está protegido, as crianças também ficam menos vulneráveis. Por isso é importante cuidar da alimentação delas e da sua também.

Agora, mesmo com todos os cuidados, pode acontecer de a gripe nos pegar. Nesse caso é importante prestar atenção nos sintomas: congestão nasal, tosse seca e garganta irritada são os primeiros que aparecem. E cuidado: gripe é diferente de resfriado! Apesar dos sintomas serem bem parecidos, a gripe é uma infecção das vias respiratórias que provoca efeitos bem mais fortes que os resfriados e pode até evoluir para uma pneumonia. Para resfriados não há vacina.

Ao cuidar da gripe das crianças, siga as recomendações do pediatra. Muitas vezes, remédios para diminuir a febre e descongestionantes nasais são indicados pelos médicos. Outra recomendação importante é tomar bastante água. Um corpo bem hidratado sempre reage melhor.