Dores de cabeça: um guia para enfrentar a cefaleia

pelo encravado
Pelo Encravado: Causas, Tratamentos e Prevenção
28 de maio de 2019
Dicas para viver e conviver melhor com uma doença crônica
11 de junho de 2019
Exibir tudo

Dores de cabeça: um guia para enfrentar a cefaleia

Dor de cabeça é tão comum e desagradável que serve até como sinônimo para outros problemas que precisamos encarar no dia a dia. É como aquele cano entupido ou aquela situação no trabalho que você olha e diz: “isso vai virar uma tremenda dor de cabeça!”

Cefaleia é o nome técnico para dor de cabeça e é um problema tão comum que até existe um dia especial para conscientizar as pessoas sobre ela: 2 de junho é o Dia Nacional de Combate à cefaleia.

Só que não existe apenas uma cefaleia. Para se ter uma ideia, há 150 tipos diferentes e entre as mais conhecidas, está a temida enxaqueca. A cefaleia, ou a dor de cabeça, é tão comum que a Academia Brasileira de Neurologia acredita que 99% das mulheres vão sofrer com ela pelo menos uma vez na vida. Entre os homens, o número chega a 94%.

As dores de cabeça mais comuns são aquelas que os médicos chamam de tensional. Estresse, má postura, desidratação, ficar muito tempo sem comer e dormir mal podem causar esse tipo de cefaleia.

A dor de cabeça também pode ser um sintoma de outros problemas como gripes e resfriados ou até doenças mais graves como aneurismas. Por isso é importante consultar um médico antes de se medicar. Aliás, tomar analgésicos demais também é uma das causas para desenvolver dores de cabeça crônicas.

Quem já passou por uma crise de enxaqueca sabe como é difícil realizar as tarefas mais simples do dia a dia. Levantar da cama muitas vezes é um desafio porque há uma grande sensibilidade à luz e as dores são tão fortes que chegam a provocar náuseas. Trabalhar, então, se torna uma missão praticamente impossível. Sem falar que para muita gente as dores chegam a durar mais de dois dias.

Tenha uma vida sem dores de cabeça

Para quem sabe o que é ter uma enxaqueca ou sofrer de dores de cabeça há algumas dicas que podem ajudar a conviver com esse problema:

Tome bastante água e descanse: Hidratação e repouso são as dicas mais simples, mas nem por isso menos eficientes para amenizar a dor.

Analgésicos: Os remédios mais conhecidos para dor de cabeça são o paracetamol e o ibuprofeno. Mas lembre-se: não exagere na dose e procure um médico se a dor persistir.

Coma na hora certa e faça exercícios: Tente se manter alimentado de três em três horas. Vale à pena carregar frutas ou outro tira-gosto para casos de necessidade. Se o lanche for saudável, melhor ainda. Ingerir álcool também não é uma boa pedida porque vai piorar sua dor. Quanto a atividade física, atenção: não quer dizer que é para sair correndo durante uma crise de enxaqueca (até porque você não vai conseguir). Mas praticados regularmente, exercícios leves como caminhada ou uma sessão de alongamentos ajudam a evitar dores de cabeça.

Controle seus nervos: Sim, é difícil prever quando vamos passar por uma situação de estresse. Mas às vezes dá para evitar pegar o carro e ficar preso no engarrafamento. Preocupações excessivas e nervosismo disparam nossas dores de cabeça. Então, sempre que possível procure atividades relaxantes. Mas cuidado com as telas! Ficar muito tempo olhando para elas pode aumentar a dor.