Conjuntivite Primaveril - Saiba mais sobre esse assunto no nosso blog.

Conjuntivite Primaveril

Árvores e a sua Saúde
Árvores e a sua Saúde
21 de setembro de 2017
Envelhecer com Saúde
Envelhecer com Saúde
27 de setembro de 2017
Exibir tudo

Conjuntivite Primaveril

Conjuntivite

A primavera é a estação mais alegre e colorida do ano, mas também pode trazer problemas para saúde, principalmente a dos olhos, pois nesta época, há a presença de pólen no ar que colabora para potencializar os casos de alergias oculares, como a conjuntivite.

O risco é ainda maior para as pessoas que já apresentam quadros alérgicos como bronquite, asma e rinite, doenças que podem aparecer associadas à chamada conjuntivite primaveril.

A conjuntivite primaveril é o nome dado a um tipo de conjuntivite alérgica que pode apresentar desde sintomas leves como coceira e vermelhidão até sintomas mais graves como lesões na córnea. Por isso é importante consultar um médico no caso do surgimento desses sintomas.

Sintomas Conjuntivite Primaveril

Os sintomas desse processo alérgico são facilmente detectados: coceira freqüente nos olhos, secreção na mucosa, olhos vermelhos e inchados, muita produção de lágrimas, ardor e desconforto na presença de luz forte.

Causas da Conjuntivite Primaveril

A característica desta doença é o fato de ser estacional, ou seja, ocorre no período do ano em que ocorrem polinizações de alguns tipos de plantas (primavera). Por isso, tem seu auge entre os meses da primavera, sendo mais prevalente entre setembro e dezembro. A inalação de grãos de polens de alguns tipos de plantas faz com que as proteínas do pólen se depositem nas mucosas respiratórias, provocando uma inflamação alérgica.

Cuidados

Alguns cuidados são recomendados para a recuperação:

– Evitar ambiente ao ar livre entre as 5h e 10h da manhã, quando a ação do pólen é ainda mais intensa, principalmente na primavera.

– Na hora de escolher uma viagem, prefira a praia ao campo.

– Limpar a casa com um pano molhado em vez de vassoura, para não levantar o pó acumulado.

– Retirar cortinas, tapetes e bichos de pelúcia do ambiente.

– Arejar a casa e permitir a entrada do sol.

Mas se todas as precauções forem tomadas e, mesmo assim, a alergia não der folga é essencial buscar ajuda de um oftalmologista.

Prevenção

Para a prevenção, algumas medidas podem ser tomadas, como afastar qualquer agente que possa ser considerado alérgeno e lavar bem os olhos com água cristalina ou com um algodão embebido em água boricada, pois assim diluímos e até eliminamos esse agente. Evite usar qualquer tipo de colírio sem recomendação médica.

Alguns casos de conjuntivite alérgica podem levar ao acometimento da córnea que conseqüentemente compromete a visão. Não cuidar de conjuntivites tidas como alérgicas pode causar cicatrizes, olho seco e até o comprometimento da visão.

Vale ressaltar que esse tipo de conjuntivite não é contagioso. Por esse motivo, na maioria dos casos, não exige afastamento do trabalho ou de outras atividades. A conjuntivite primaveril tem aspecto alérgico, por isso o paciente não precisa deixar de realizar tarefas do cotidiano. A não ser que as tarefas o exponham a substâncias irritantes, como fumaça, pós, lãs ou agentes químicos que precisam ser evitados já que agravarão o quadro .

Nos casos de infecção associada à alergia, o paciente deve ser afastado por um tempo que varia de acordo com o quadro clínico e a resposta de tratamento.

Fonte: Minha Vida/IsoOlhos

conjuntivite