Algumas doenças são mais comuns no inverno, mas você pode escapar delas

Dia da saúde ocular: o que fazer para cuidar bem dos seus olhos
8 de julho de 2019
Força na peruca! O inverno pede cuidados especiais com seus cabelos
22 de julho de 2019
Exibir tudo

Algumas doenças são mais comuns no inverno, mas você pode escapar delas

A chegada do inverno é aguardada por muita gente que não dispensa ficar embaixo das cobertas e curtir o frio com aconchego e boa comida. Mas a estação mais fria também traz obstáculos para a saúde com algumas doenças que atacam especialmente nesta época do ano.

Além do frio, a umidade fica mais baixa, as mudanças de temperatura são maiores e para quem mora nas grandes cidades é ainda mais fácil perceber que a poluição aumenta. Esses fatores contribuem para que, além das gripes e resfriados, as doenças respiratórias sejam bem mais comuns nesse período.

Mas calma! Há também cuidados que você pode tomar para evitar essas doenças nesse período do ano. Confira:

Gripes e resfriados: A vacina contra a gripe é sempre indicada. Especialmente para quem sofre de doenças crônicas respiratórias. Também é importante saber diferenciar quando você está resfriado ou gripado. Lembre-se que na gripe a febre é mais alta, a fadiga, o cansaço e as dores no corpo são mais intensos e ela também pode vir acompanhada de dor de cabeça.

Para evitar tanto a gripe quanto os resfriados a higiene é muito importante. Lavar sempre as mãos e até mesmo carregar álcool em gel para limpá-las são ótimos hábitos de prevenção.

Doenças respiratórias: Entre os males mais comuns que prejudicam as vias aéreas estão: rinite alérgica, asma, sinusite, crises de bronquite crônica, DPOC (doença obstrutiva pulmonar crônica), enfisema pulmonar e pneumonias. Além de cuidar da higiene (de novo: lave as mãos sempre!), evitar lugares fechados e cheios de gente ajuda, principalmente quem já é mais sensível a essas doenças. Ah, e sabe aquelas roupas e cobertores que você só tira do armário quando o frio chega? Então, uma boa ideia é lavar ou deixar essas peças expostas ao sol. O soro fisiológico também é uma companhia que você pode ter sempre a mão para lavar o nariz e diminuir os riscos de irritação.

Conjuntivite: aquele inchaço, coceira e o incômodo nos olhos que a conjuntivite provoca é bem mais frequente no inverno, principalmente por conta da secura do ar e do aumento da poluição. A conjuntivite é uma inflamação da membrana que cobre o globo ocular e seu contágio se dá de forma muito parecida com o resfriado. Então, já sabe: higienizar as mãos é uma forma de evitar. Quando a suspeita da conjuntivite aparece é fundamental consultar um oftalmologista. Embora 90% dos casos de conjuntivite sejam virais e a menor parte casuada por bactérias, o médico saberá diferenciar e indicar o tratamento mais adequado. Enquanto isso, separe as roupas de cama e banho de quem está com conjuntivite para proteger as outras pessoas da casa.

Otite: Mais conhecida como dor de ouvido, ela é bastante comum no inverno e ataca principalmente as crianças de até 3 anos (acredita-se que 75% delas sofram com otite até essa idade). As dores de ouvido podem ser causadas por vírus e bactérias. Preste atenção se o seu bebê está chorando sem parar e com febre. Às vezes também é possível notar alguma secreção na região inflamada. Nesse caso, é importante a consulta ao médico para indicar o melhor tratamento. As vacinas contra o vírus influenza e o pneumococo também são indispensáveis para ajudar a prevenir essas terríveis dores de ouvido.